domingo, 24 de outubro de 2010

(quase) Inexistentes dotes culinários

Eu nunca tive assim, muuuuita vontade de aprender a cozinhar. Quando eu era pequena sempre fui muito mestra na arte do Brigadeiro, mas ? Não sei se posso falar que brigadeiro de panela é cozinha.

Dai quando mudei pra São Paulo... não evoluí nem um milímetro. Primeiro porque eu e Marida tínhamos a vantagem de viver pertinho de Campinas, então nosso jantar vinha congeladinho lá de casa mesmo, carninha, arroz, feijão, strognoff, carne de panela, sopinhas, tudo nos taperwares que salvaram nosso período de faculdade.

Segundo porque, em geral, nesses anos de SP a vida foi sempre meio corrida. Tinha épocas de acordarmos 6h prá GV, estágio até 19h30, chegava em casa e ainda tinha que estudar, fazer TCC, etc etc etZZzzzz.... Então óbvio, assistir a novela sempre foi a prioridade: não tenho o me-nor pudor em admitir que preferia ficar uma hora largada no sofá depois de um dia desses, do que uma hora em pé no fogão!

Enfim.

Aqui tá um pouco difícil ignorar o fato de que preciso aprender o mínimo. Primeiro por estar longe dos taperwares salvadores de Zaíde; segundo porque agora nesse esquema de casal os programas se resumem basicamente a ir na casa dos colhegas pra almoços, jantares, etc etc e poxa, muito bom ter gente em casa também; terceiro porque minhanossasenhora o Rodrigo come muito e não há pra ele a opção de "vamos comer uma sopinha e uma salada hoje a noite" porque senão era divórcio antes mesmo de casamento.

Então cá estamos. Mas olha, não tá fácil. Minha colhega Heloísamuitas semanas me ensinou a fazer macarronada (é, eu não sei fazer nem macarronada, beijos!) e cadê que eu faço essa macarronada? Morri de medo e só fui fazer hoje - obviamente com a devida supervisão dela hihi.

Tenho uma outra amiga Americana que cozinha ridiculamente bem e em Junho fomos na casa dela jantar. Gente, humilhação. Ela me cozinhou um risoto de abobrinha e fez um frango com amendoim e canela, uma coisa meio louca absolutamente incrível. E cadê que eu tive coragem de convidá-los pra vir aqui? Demorou até uns dois finais de semana atrás, quando tomei coragem e decidi que tava na hora de acabar com a palhaçada.

Olha, eu nem vou comentar o meu estado de stress na Sexta e no Sábado antes de eles virem. Resolvi fazer um risoto de Brie com Parma, comprei o frango de padaria do Waitrose (é mó bom, eu garanto) e resolvi que ia porque ia fazer um cheesecake com cobertura de goiabada que está aqui estragando na geladeira (alguém quer?).

Putz... Olha, desastre não foi. Eles já estavam bem avisados que era minha primeira experiência culinária em casa e no final todo mundo saiu super bem alimentado. Mas óbvio, tava na cara que algo não ia funcionar. SORTE que foi o cheesecake e não o Risoto.

Digamos que assim, eu nem me liguei no fato de que "gelatina sem sabor" significa fazer a gelatina e jogar na massa e não apenas jogar o pozinho e ele magicamente vai sustentar o negócio. Pois é. Não rolou. O negócio caiu, um desastre na cozinha, minha manhã de Sábado literalmente indo pelo lixo, mas sabe que nem me abalei? A Kris riu tanto da minha cara e o Rodrigo ficou com tanta pena de ver o estado daquela coisa toda esparramada pela pia que eu até levei no bom humor.

Enfim, vamos indo. Ainda não peguei o gosto pela coisa, vou aprendendo beeem devagar, no meu ritmo e, quer saber? sem a menor pressa. O Rodrigo quando chega em casa a noite come até caco de vidro, então eu começando a fazer algumas coisas durante a semana e se ficar ruim só eu sei; ele come tudo mesmo, raspa o prato e ainda repete... Faz maravilhas pra minha auto-estima culinária!

terça-feira, 19 de outubro de 2010

Cologne, Dusseldorf

Então, sumi né? Fui viajar esse final de semana!

A Taliza (amiga querida!) está morando em Dusseldorf e nesse final de semana conseguimos nos encontrar lá. O final de semana foi ótimo, não só porque a gente matou muito as saudades, mas porque os passeios que fizemos foram incríveis.

Beira do rio em Cologne, super lindinho!

No sábado a gente passou o dia com uns amigos da Tá em Cologne, pra visitar a tão famosa Catedral e passear pela cidade. Bom, a catedral eu devo realmente dizer que é chocante. Eu até que já vi bastante catedral e essa é uma coisa impressionante mesmo, não a toa é considerada uma das atrações principais da Alemanha e patrimônio da humanidade. É em estilo gótico e começou a ser construída lá pelos 1200 e só terminou mais de 600 anos depois (pra quem leu Os Pilares da Terra é pra se sentir parte da história do livro! :) Ah outra coisa que li e achei bem curioso é que a igreja abriga os restos mortais (ossos e roupas também) dos três Reis Magos! Enfim, gostei :)



E mais, disso eu não sabia, mas quando terminou de ser construída era considerada o prédio mais alto do mundo. E as cabeçonas aqui turistas resolveram subir né, como assim vamos à Colônia e não subimos a catedral? Gente.... Gente. Você tem labirintite? Você não tem preparo físico? Você tem amor à vida? Não suba. São mais de 500 degraus e nossa, como estou idosa.

A escada da labirintite. Mentira quem disser que a gente só tirou essa foto como desculpa pra descansar. Tudo intriga da oposição!

De resto, passeamos pelo Rio, comemos junk food Alemã (Tá, fala aí o nome do negócio que eu não sei) e fomos no museu do chocolate. Ai gente, eu muito recomendo o museu, ele é tão legal! Super interativo, um monte de coisas interessantes e taaaanto Lindt que chega a ser um pecado da vida.

Eles mostram toda a produção do chocolate e termina nessa fonte incrível em que eles dão um agrado prá nóis.

No Domingo, após uma noite de vinho até 6h da manhã (balada nada, foi no sofá mesmo) acordamos tarde e com a devida ressaca. Então fomos no Media Harbor num restaurante muito gostoso que Taliza descolou, um brunch de buffet que nos deixou lá por algumas horas. Comi de sucrilhos a carne, mas tá valendo, né? A única pena é que eu realmente tava bem mal no Domingo (ressaca péssima + me recuperando da crise alérgica do Sábado + um frio SEM NOÇÃO de 3 graus que tava lá) e não aguentei nem passear muito pelo centrinho velho. Mas nada mal, demos uma volta de carro, vi todo o Media Harbor que é uma parte bem gostosa da cidade, o verde que tem na beira do rio, as casas lindas...

Enfim, adorei as duas cidades, mas acho que achei Dusseldorf mais bonita, mais verde, não sei. Como a Tá disse, pode até não ser uma cidade cheeeia de pontos turísticos, mas é excelente pra morar! Bonita, bem organizada, gostosa... Adorei ter ido, quero voltar e espero que ela fique muito feliz pelo tempo que ficar lá!


Vai, sente só o drama da Catedral com trilha sonora. Não é incrível?!

video

(Gente, a viagem foi uma delícia. Mas nada paga voltar pra casa e ver que Rodrigo 1) faxinou a casa inteira sem eu nem ter falado nadinha 2) cozinhou (juro por tudo) um spaguetti e salmão que tavam prontinhos e quentinhos na mesa pra mim quando cheguei! Brigada, lindinho ;) )

(Tá, como te mando as fotos? Tem várias ótimas...!)

quarta-feira, 13 de outubro de 2010

Pro Bono project

Comentei que lá em Nice a gente trabalhou na Sexta o dia todo e Segunda de manhã, né? Pois então, até isso foi legal! Vou tentar explicar.

Um dos sócios daqui foi num TED e conheceu dois empreendedores sociais com projetos muito bons - um sobre sustentabilidade e outro voltado pra mães com HIV na África (não sei se posso falar o nome das Charities aqui, sei lá!). E a empresa onde eu trabalho tem uma verba pra trabalhos Pro Bono, justamente pra charities e trabalhos sociais que eles possam ajudar não só doando dinheiro, mas realmente fazendo algo em que eles são bons - estratégia de mídia digital.

Então o que eles fizeram de atividade em Nice foi dividir metade da empresa pra cada charity e cada metade em 4 grupos. Na Sexta cada grupo tinha que, em um tempo muito limitado, bolar uma estratégia de Marketing Digital prá sua charity, como se fosse o Briefing normal de um cliente real: qual o público-alvo, o objetivo, o orçamento disponível, possível parcerias, melhorias propostas no site e por aí vai.

Na Segunda então, cada grupo se apresentou pra sua "metade" (ou seja, pros outros grupos da mesma charity), todos votaram nas melhores apresentações e no final ficou um grupo de cada pra apresentar seu projeto pra empresa toda. E o mais, mais, mais legal mesmo é que o grupo que ganhasse iria participar do projeto, porque a idéia é que o grupo ganhador voltasse pra Londres, aperfeiçoasse o que fez na Sexta e efetivamente trabalhasse nisso, com a verba Pro Bono que eles têm. E a gente ganhou!!!!!!!!!!!!!!! :D

Juro, tô muito feliz com isso por alguns motivos: primeiro porque a nossa charity (eu peguei a das mães com HIV na África) é muito legal e tem uma proposta muito boa. Segundo porque eu me empolguei muito, participei bem ativamente da concepção do projeto e acredito muito que a gente pode fazer um bom trabalho prá ajudá-los. E mais ainda, todo mundo sabe que eu sou bem desmotivada com o que eu faço diariamente: reports, Excel, reports e mais reports. Poder sair um pouco dessa rotina chatinha prá fazer parte de um projeto tão gostoso e com pessoas diferentes me dá uma certa animação e motivação extra!

Enfim, óbviamente (hehe) tamos felizes também porque o grupo ganhou um jantar zuuuuper chique num dos melhores restaurantes de Londres (depois conto como foi!). Afinal vamos combinar: Sexta-feira a tarde, um solzão lá fora, Rodrigo jogadão lá no Resort e nóis naquela sala fechada e abafada trabalhando até às 20h?! Merecemos! :)

(Prometo, último post com qualquer coisa relacionada à Nice :) )

sexta-feira, 8 de outubro de 2010

St. Paul de Vence

Sem dúvida uma das melhores coisas que a gente fez na viagem foi ter ido prá St. Paul de Vence! Só tínhamos um dia prá aproveitar então seguimos a dica da Fer de irmos prá lá! Acordamos bem cedinho (nem sei como), reservamos um táxi e fomos.

Bom, começa que a Vila de St. Paul está construída a 60 pés de terreno rochoso no Sudeste da França, então a vista lá de cima é uma coisa excepcional, considerada uma das mais bonitas de Provence! De lá se tem uma paisagem sem noção das montanhas, dos Alpes, do Mediterrâneo, tudo a sua volta. Fora que né, 300 dias de sol por ano, nada mal :)

Pelo que eu li, 3,000 pessoas moram em St. Paul e 300 só na Vila lá em cima, mas anualmente o lugar recebe nada menos que 2,5 milhões de turistas!!! É o terceiro lugar histórico mais visitado da França (com construções protegidas pelo patrimônio nacional) e aparentemente nós tivemos muita sorte, porque em alta temporada é quase impossível andar lá dentro!

Outra coisa muito legal é que é super artístico. A beleza do lugar, qualidade de vida, o sol, enfim, atraiu muitos artistas que passaram até a viver por lá. Marc Chagall* está enterrado ali e por todos os lados há galerias de arte, oficinas de artesanato, museus, etc... (tudo bem caro, by the way).

Realmente, a Vila é uma coisinha de tchuca! Me lembrou um pouco Toledo (guardadas as devidas proporções, óbvio) por ser uma vila lá em cima de tudo, ainda com as muralhas, ruazinhas micro e labirintosas... Mas lá, diferente de Toledo, não dá nem prá se perder já que a Vila é super pequena mesmo e tem 200m de ponta a ponta!

Enfim, se algum dia você estiver por perto, é bem obrigatório passar pela Vila! É tão rápido, tão perto de Nice, tão lindinha e tão cheia de história e arte, que é um programa muito gostoso!

*Again, lembra do Notting Hill, que a Julia Roberts dá uma pintura original carésima que ele gostava? Então, chama La Mariée e é desse cara ai.

terça-feira, 5 de outubro de 2010

Opio en Provence

Ooooohhhnnn

Então né, voltei de Nice! Muita coisa prá falar, já prevejo um post gigantão tipo o de NY :) Aliás acabei de mudar de idéia, porque não vai dar tempo de fazer um gigantão - então vou fazer um introdutório e depois conto melhor hehe

- Bom, como tinha falado fomos na Sexta de manhã e voltamos ontem (Segunda) no fim do dia e tivemos muita, muita sorte! A previsão era meio de tempo nublado e chuva e que nada! Mó solzinho gostoso, céu azul, azul, azul, quase nenhuma nuvem, uma delícia! Isso fez com que a gente aproveitasse muito o final de semana inteiro e fizemos de tudo pelo resort! Tive que "trabalhar" sexta até 20h e segunda até 13h, mas é quase nada, né? E a atividade foi super super legal então até isso valeu!

- O Resort em si também era uma delícia. Todo meio em estilo Provençal, claro, e muito, muito lindo! O que a gente (eu na verdade) mais aproveitou foi a Zen Pool, que é uma piscina lááá no fundo, depois dos Olive Fields que não pode ir criança. Gente, o sossego em forma de paraíso. Ou o paraíso em forma de sossego, sei lá. Além da piscina ser uma delícia, a vista, o silêncio, tudo, amei demais. Deitei lá e um dos dias dei uma cochilada sem precedentes (isso enquanto Rodrigo atleta corria). Caminhamos por todos os lados, jogamos um pouco de golf (aquele pequenininho na grama verde, adoramos!), jogamos ping-pong e o maisss legal foi a experiência no trapézio, amei! Fiquei toda dolorida na barriga e nos braços, mas é super gostoso!

- Um capítulo a parte da viagem foi a comida. Olha, eu nunca tinha num Club Med e fiquei chocada: a gente não.parou.de.comer.um.segundo! As rfeições tinham dezenas de opções de comida, carne, salada e principalmente - ó céus - sobremesas... Hoje uma turma grandona aqui do trabalho (eu inclusive) foi num restaurante Vegan prá ver se desintoxicava um pouco, muita porcaria e muita coisa em muito pouco tempoooo!

- Foi bem legal ir com o pessoal daqui da empresa! Todos são muito animados e eu conheci vááárias pessoas que não conhecia ou quase nunca conversava ou porque são de outros times, ou porque sentam longe, enfim. E também várias pessoas levaram seus "partners" e filhinhos então foi super gostoso conhecer mais gente ainda e ver as criancinhas tão fofinhas, tchukiiiii..... :)

Essa é a única foto que temos com alguém da empresa - esses são dois brothers do meu time

Bom, por ora é isso aí, depois conto da Vila medieval que a gente foi no Domingo - dica super boa da Fer!

sábado, 2 de outubro de 2010

Portobello Market


Aleluia irmão! Só mesmo uma visita animada prá me fazer ar atééé Notting Hill! No Sábado passado, apesar do friozinho, amanheceu um dia lindão-super aberto-céu azul-maravilha! A Ana queria conhecer Notting Hill e eu nunca tinha ido pro Portobello Market, então a coisa toda ornou, sabe?

O Portobello Market é um desses mercados de rua super delícia que tem por aqui, só que esse é focado em Antiguidades. Quer dizer, prá ser justa tem muita comida também, coisinhas de casa, roupas etc. e durante a semana parece que é mais um mercado de Fruits & Vegetables - e dai no Sábado o forte são antiques. Até porque, segundo meu amor Wikipedia o mercado começou no séc. 19 como um mercado de fresh food mesmo e só pelos 1960 é que começou essa coisa de antiguidades.

Enfim, a rua (o mercado fica na Portobello Road) e o mercado são lindos, uma graça, tchuqui-tchuqui. Porque né, além de as lojas serem super diferentes uma da outra, as barraquinhas serem legais e ter muita comida, a arquitetura do bairro é uma graça. As casinhas bem no estilo que a gente vê nos filmes, super gostosinhas.

Engraçado que lá já era lotadaaaasso, mas depois do filme do Notting Hill o negócio pegou mais ainda - vai, que você não lembra do Aint no Sunshine when She's gone, quando ele fica cabisbaixo andando pelo mercado e as estações vão passando?

Enfim, foi um passeio que valeu super a pena! Compramos coisinhas, comemos crepe, andamos, admiramos o bairro... Super recomendo! A gente chegou pela Notting Hill Gate (Central, District e Circle Lines) que é por onde a maioria vem.

(ah e esse post eu escrevi na quinta, do trabalho, tá? Pode deixar que "hoje" - prá mim em 3 dias - eu devo tá esticadona na piscina ou aproveitando alguma atividade do resort - tudo dependerá do clima!)